sábado, 4 de novembro de 2017

Festival Bang!

No passado dia 28 de Outubro decorreu o Festival Bang! no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa. 

Foi um pequeno evento dedicado a livros de fantasia organizado pela Revista Bang da editora Saída de Emergência. Foi a sua primeira edição e tive imenso prazer em fazer parte dela. Não é todos os dias em que temos um evento dedicado a livros! Ainda para mais de fantasia, que são os meus favoritos.



O espaço era pequeno mas para o que tinha a oferecer e para a quantidade de visitantes, serviu perfeitamente. Havia o auditório e o espaço das parcerias onde também decorreu a sessão de autógrafos com - sem mais nem menos - Anne Bishop!

Na zona das parcerias havia bancas de board-gaming, cosplay, streampunk e sci-fi. Não tinha muita variedade mas é sempre engraçado de ver.

Havia também uma exposição de desenhos com vários artistas portugueses que é sempre interessante de ver.

Aproveito também para informar que havia comes e bebes! Ali não passavam fome!

A outra atracção principal foi a apresentação de um livro do Fernando Ribeiro (vocalista dos Moonspell) que teve direito a um mini concerto da banda e também a apresentação do novo livro da Saída de Emergência de contos do Edgar Allan Poe.

O bilhete para o Festival Bang! teve o custo de 5€ que revertia na compra de livros na banca da editora que organizou o evento! E os livros já tinham todos eles óptimos descontos, mesmo em novidades. Aproveitei e trouxe comigo O Dragão do Inverno e Outras Histórias do George R. R. Martin que me ficou por apenas 5€, ehehe.



Uma coisa que não estava nada à espera e me surpreendeu imenso pela positiva foi que todos os visitantes, ao entregar o bilhete, recebiam um saco de goodies completamente grátis! Vinha com a última edição da Revista Bang, um livro sobre o Edgar Allan Poe, um pin e mais um voucher de desconto na loja online. 

Foi um evento pequeno e calminho mas, sinceramente, já tinha saudades de um ambiente assim, relaxante. O local era lindo porque era num parque super sossegado. Passei um bom tempo à sombra de uma árvore, deitada a ler com o som dos passarinhos.



A primeira coisa que me motivou a ir ao festival foi a presença de uma autora de renome. Só li uma trilogia dela e admito que nem foi das minhas leituras preferias, mas não acontece sempre termos bons autores cá em Portugal. Peguei no primeiro livro que li dela e lá fui eu. 
O engraçado é que o que me fez ir ao evento (o autografo da Anne Bishop) foi a única coisa que não fiz! Distrai-me na conversa fora do recinto com uma amiga e quando dei por mim, já a sessão tinha começado... E havia uma fila enorme. Fiquei uma hora e só andou um terço... Acabei por desistir porque não me ia despachar noutra hora e tinha uma ida ao cinema combinada. Custou e fiquei um pouco desiludida por a fila andar tão lentamente mas por outro lado, penso que tal se deveu à autora dedicar algum tempo a falar com os fãs, o que acho bestial. Algo triste por não ter conseguido o autografo? Sim. Mas compensei em ter gostado imenso do resto do evento. :)

Espero que o Festival Bang! Tenha tido sucesso pois, pessoalmente, gostei imenso. E espero ir a uma próxima edição. :)

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

FairyLoot Outubro 2017: Villainous


Se a do mês passado veio tarde... A de Outubro veio mais cedo que o normal!

Novamente, para quem ainda não sabe, a FairyLoot é uma caixa de subcrição mensal que todos os meses envia artigos relativos a livros de fantasia e um livro, sempre dentro de um determinado tema.

O tema para este mês foi Villainous. E prometeram itens de Sherlock, Harry Potter, Disney e The Young Elites. Não conheço o último mas não faz mal, gosto muito de tudo o resto.

Então, este mês recebi...

FairyLoot Setembro de 2017: All That Sass

Esta crate veio com um bocadinho de atraso, daí o post tardio... Mas cá está! A FairyLoot de Setembro!

Novamente, para quem ainda não sabe, a FairyLoot é uma caixa de subcrição mensal que todos os meses envia artigos relativos a livros de fantasia e um livro, sempre dentro de um determinado tema.

O tema para esse mês foi All That Sass. Foi-nos prometido artigos relacionados com personagens sassy dos livros The Mortal Instruments, The Infernal Devices, Throne of Glass, Percy Jackson e da trilogia Grisha.
Na verdade, desses todos, só conheço Percy Jackson e só pelo terrível filme que fizeram dele, nunca li os livros. Sei o que é Mortal Instruments mas também nunca li. Os outros desconheço completamente. Daí que não tinha muito interesse nesta crate mas acabei por receber artigos de que gostei muito.

Então, este mês recebi...

sábado, 14 de outubro de 2017

His Dark Materials

Sabem aquele sentimento forte que surge quando acabamos um livro que muda a nossa vida para sempre? Quando terminamos a última página e nos sentimos felizes e tristes ao mesmo tempo porque nunca mais vamos encontrar algo igual e tão perfeito para lermos. É uma sensação de coração cheio e de vazio. A história está em nós, ela existe. Mas nunca mais a vamos poder experienciar pela primeira vez, novamente.
Foi o que me aconteceu quando terminei esta trilogia. 

Esta história é composta por três volumes: "Northern Lights", "The Subtle Knife" e "The Amber Spyglass", escritos por Philip Pullman. 


Tudo começa quando Lyra Belacqua. abandona Oxford. Acompanhada por o seu dæmon Pantalaimon, quer salvar o seu amigo que desapareceu misteriosamente, tal como várias outras crianças nas redondezas. A sua natureza curiosa também a faz querer saber o que tem de importante as auroras boreais e o que é o Pó, que tanto parece interessar aos académicos e à Igreja.

O que é um dæmon, perguntam vocês? Todos os humanos têm um. No universo de Lyra manifestam-se na forma de um animal, no nosso, são invisíveis e não os ouvimos. Mas todos os têm. Fazem parte de nós.
E o Pó? Que tem pó de importante? Tudo. Tudo gira à volta do Pó. É a coisa mais importante em todos os Universos.

No segundo livro somos apresentados à outra personagem principal: Will Parry e é aí que tudo muda.

O que ao início parece uma história infantil, ao seu tempo evolui e torna-se algo muito mais complexo. É errado dizer que são livros infantis. Não são. Têm tanto significado quando lido por adultos. São incríveis. Uma criança nunca vai entender tal complexidade - pode gostar e aprender com ele, mas nunca vai sentir o que um adulto sente. Um adulto vai sempre sentir tudo mais profundamente porque vai entender o verdadeiro significado da história.

É uma história de fantasia com elementos infantis, é verdade; tem feiticeiras, ursos blindados que falam, espectros, magia... Existem vários Mundos, cada um com os seus seres. E existe o nosso. Lyra é de um e Will é de outro. Juntos vão atravessar vários Universos Paralelos enquanto uma guerra nos Céus contra a Igreja e a Autoridade deflagra.

Mas não é só sobre isso que os livros nos falam. Falam sobre crescer, sobre amar, sobre sacrifício... Sentimentos e emoções que tornam os humanos aquilo que são. 
Toda esta história tem um significado muito mais profundo do que aparenta. É preciso ler para experienciar. Estamos a ler palavras e estamos a sentir o verdadeiro significado delas. 

Falei sobre tudo e sobre nada. Divaguei. Não consegui explicar sobre o que é esta história ao certo. Nem quero. Só quero expressar o quanto a amo. Arrependo-me de não os ter lido mais cedo...

Este mês vai sair um novo livro que vai dar início a uma nova trilogia ligada a "His Dark Materials". A pre-order já está feita e estou ansiosa para poder ter "La Belle Sauvage" nas mãos. As short-stories ("Lyra's Oxford" e "Once Upon A Time In The North") que acompanham os primeiros três livros não me preencheram o vazio.

Estes livros partiram-me o coração em mil pedacinhos e nunca mais vai voltar a ser o mesmo. Esta história vai fazer sempre parte de mim. 
Obrigado, Philip Pullman.

"I will love you forever, whatever happens. Till I die and after I die, and when I find my way out of the land of the dead, I'll drift about forever, all my atoms, till I find you again..."
"I'll be looking for you, Will, every moment, every single moment. And when we do find each other again, we'll cling together so tight that nothing and no one'll ever tear us apart. Every atom of me and every atom of you. We'll live in birds and flowers and dragonflies and pine trees and in clouds and in those little specks of light you see floating in the sunbeams... And when they use our atoms to make new lives, they won't just be able to take
one, they'll have to take two, one of you and one of me, we'll be joined so tight..."

Avenida Q

" - Vou ver um espetaculo musical de comédia... Com fantoches." - disse eu aos meus pais quando me perguntaram o que ia fazer naquela noite ao Casino de Lisboa. Riram-se e abanaram a cabeça. Pareceram desapontados por uma pessoa da minha idade pagar para ir ver fantoches. O que eles não sabiam é que era a Avenida Q.


domingo, 17 de setembro de 2017

IT

O filme pelo qual esperei ansiosamente nas últimas semanas já foi visto. Refiro-me ao IT.



Inicialmente, quando o filme foi anunciado, fiquei chateada porque não achei que houvesse necessidade de um remake deste filme. 
Eu sou super fã do filme de 1990 e adoro o Tim Curry como Pennywise, por isso achei que um novo filme era uma afronta! Quando saíram as primeiras fotografias do novo palhaço diabólico, eu revirava os olhos e dizia que não era nada de especial. Continuei a achar o filme desnecessário. Até que... O trailer saiu. Aí dei o braço a torcer e disse que até parecia estar engraçado e era capaz de ver. Foi algumas semanas antes da estreia, quando começou a sair mais informação sobre o filme que comecei a ficar realmente interessada. Feedback mais que positivo, óptimas criticas, o próprio Stephen King gostou... Pronto, realmente parecia que ia ser bom e fiquei desejosa de matar a curiosidade e vê-lo. 



Saí da sala de cinema imensamente satisfeita. O filme está espectacular! Retiro tudo de mal que possa ter dito sobre este remake. Se precisávamos? Não. Se valeu a pena? SIM! E agora vou dizer uma coisa que nunca pensei dizer:
O remake está melhor que o original.

Feira Alternativa de Lisboa

Este mês decidi ser espontânea e, inesperadamente, dei por mim à entrada do INATEL para ir à Feira Alternativa de Lisboa.

É uma feira que consiste em várias bancas de terapias alternativas, tendo também bancas de artesanato, adivinhação, esoterismo, cosmética vegan artesanal, produtos ecológicos, etc. São tudo coisas em que tenho um certo interesse por isso, porque não ir dar uma olhadela? 


Havia bancas bastante interessantes mas dispensava as bancas indianas que estamos constantemente a ver em todas as feiras da Margem Sul que isso de alternativo não tem nada. Foi a única coisa em que penso que o evento pecou. 
As bancas de massagens foram muito atractivas e ponderei experimentar mas acabei por decidi que não iria conseguir relaxar ao ser vista por todos os visitantes que por ali passavam.



Acabados de Agosto

A malta costuma gostar de ver os produtos que o pessoal acaba e ler a sua respectiva opinião e se voltam a comprar ou não... Resolvi aderir a essa moda e mostrar o que terminei o mês passado!




Champô e condicionador da Herbal Essences para cabelo seco e estragado: Não é que tenha o cabelo propriamente seco, mas tenho o cabelo pintado por isso, fora a raiz, tenho tendência a ficar com ele um pouco estragado. Já uso este duo há mais de um ano e gosto do resultado. Volto a comprar: Sim! Já tenho guardado os próximos! Mas de momento decidi experimentar uns novos de outra marca e sem sal, para ver se me dou melhor, uma vez que foram recomendados por a minha cabeleireira.

Toalhitas desmaquilhantes com tónico da Inglot: São as minhas toalhitas desmaquilhantes preferidas e já experimentei muitas marcas... Por ter tónico dá mais suavidade e frescura à pele. Volto a comprar: Sim! Primeiro tenho é que acabar umas de outra marca, depois volto para estas.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Wizardry and Witchcraft - A paleta de sombras de Harry Potter!

Lembram-se de há uns tempos se falar imenso de umas paletas de sombras imaginárias inspiradas em Harry Potter? O público tanto pediu que acabou por ser feita!
Sendo eu uma Potterhead assumida e maquilhadora, foi um sonho tornado realidade!

Esta palete foi feita pela marca americana Storybooks Cosmetics, também já conhecida por os pincéis de olhos que são varinhas.
Foi uma marca que adorei conhecer porque junta as minhas duas grandes paixões: Livros e maquilhagem. É espectacular ter produtos de cosmética inspirados em livros! 
Mal vi que esta palete entrou para Pre-Order lá foi a Sandra toda doidona comprar a sua. Para poder fugir à maldita alfandega e aos portes terríveis para outro continente, pedi para ser enviada para os meus tios do Canadá que depois me a entregavam em mãos quando viessem de férias para Portugal.

Paguei por ela em Março, foi enviada em Maio e só a tive em mãos pela primeira vez em Setembro! Quase fiz uma festa quando a recebi tal não era a ânsia! 


Encomenda Recebida: LUSH

Este ano descobri os produtos da LUSH (já conhecia a marca por ter produtos vegan/vegetarianos e não testar em animais - mas só agora experimentei) e virei fã do que já usei.

Infelizmente não tenho nenhuma loja ao pé de mim por isso nunca posso lá fazer muitas compras. Só estive numa loja física uma vez (onde fui bastante bem atendida), o resto foram amigas que me fizeram o favor de lá irem por mim. Desta vez, como estava desesperada por um produto que adoro e já me tinha acabado há um mês, lá decidi experimentar mandar vir pela internet. Chegou tudo rápido pela SEUR e em boas condições.

Portanto, mandei vir:
- Aqua Marina (cleanser facial)
- Bath Bomb Frozen
- Bath Bomb Tisty Tosty
- Bath Bomb Metamorphosis
- Jelly Bomb Secret Arts

Ainda recebi duas amostras bem recheadas de esfoliante Rub Rub Rub e do condicionador de corpo Ro's Argan.


domingo, 10 de setembro de 2017

FairyLoot Agosto de 2017: Otherworlds

A altura do mês!! Fairyloot de Agosto, uhul!

Para quem não sabe o que é a Fairyloot, fica aqui a explicação que já foi dada no post anterior: 
É uma caixa de subscrição que recebemos mensalmente sempre cheínha de artigos inspirados em livros de fantasia. Todos os meses há um tema e a partir desse tema são seleccionados vários produtos que todos os bookaholics adoram e um livro novidade! É sempre uma surpresa e só sabemos o que vem quando recebemos a caixa. E muitos dos artigos também são feitos exclusivamente para a FairyLoot, não se encontram em mais lado nenhum!

O tema deste mês foi Otherworlds e foi-nos prometido artigos de Lord of the Rings, Game of Thrones, Peter Pan e A Court of Mist and Fury. 

Vamos lá!


sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Anti Guia de Moda Para Festivais

Anti? Porquê anti? 

Porque vai contra quase tudo que já li sobre este assunto.
E agora quero aborda-lo como uma pessoa completamente normal, sem piada nenhuma.

Vê-se por ai - tanto nas internets como até já em lojas de roupa - o chamado "estilo festivaleiro". E no que é que isso consiste? Pelo que vejo, é suposto usar sandálias/chinelos fáxons, calções, crop-tops (cenas curtas, vá) e montes de acessórios, desde mil anéis a colares e coroas de flores.
Se isso fica giro nas fotos?
Definitivamente! Mas é aqui que surge o meu problema: Isso é confortável?
Chamem-me "old school" mas dou mais valor ao meu conforto do que estar a parecer que vou para um photoshoot.

Vão por mim:

Calçado:
- Usem ténis/sapatilhas confortáveis; não vos fica a doer os pés de passar o dia inteiro a andar e pular, não magoa tanto se formos pisadas e não ficamos com os pés todos cagados. E pelo amor dos deuses, não usem o vosso calçado predilecto, existe uma chance enorme de os sujarem e/ou estragarem.



Partes de Cima:
- Usem uma t-shirt/camisa que não se importem se for destruída. Para quê ir com a nossa t-shirt preferida e nos arriscarmos a ficar com ela toda nojenta devido aos banhos de cerveja, com nódoas de vodka preta que passou escondida e até queimadas e rotas por cigarros?! Quero estar à vontade e divertir-me sem estar preocupada se me vou cagar.




Partes de Baixo:
- Adoro jeans mas admito que não é o que gosto mais de usar num festival. Gosto de me poder mexer à vontade, sem ficar com o pneu da cerveja muito salientado (até porque aquela porra depois aperta a bexiga e ainda tenho mais vontade de mijar do que o normal depois de duas litrosas). Por isso, a minha escolha acaba sempre por recair em leggins (não tenho um cu horrível nem uso daquelas transparentes que se vê as cuecas, não se preocupem). Calções também são uma boa ideia mas esquecem-se sempre do mesmo problema: Costuma ficar frio à noite. Ah, pois é! Se querem usar calções, olhe, façam como a minha bb (best bitch) que é muito inteligente: Usem meias subidas acima dos joelhos; durante o dia podem enrola-las para baixo e à noite é só puxar para cima.
Nem vale a pena falar de saias e vestidos, pois não?
E macacões? Por amor a algo a algo superior, meus doces, há-de haver uma hora do dia em que vocês vão ficar tão aflitas para mijar que não vai dar jeito nenhum ter essa porcaria vestida; vão-se sujar todas com chichi e depois choram (sem falar que se tiverem que fazer uma mijinha rápida escondidas atrás de algo, não convém ficar quase toda nua - não queremos chamar à atenção!).


Acessórios:
- Olhem, usem as merdas que quiserem mas depois não se queixem se as perdem. Eu levo os óculos de sol e já rezo para estar sóbria o suficiente para não os perder (ou esmagar).

Maquilhagem:
Sim ou não?
- Por tudo aquilo que já disse é provável que pensem que vá dizer para não usarem. Mas sabem que mais?! Adoro maquilhagem e apesar de existir dias em que não me apetece usar nada, costumo estar maquilhada em festivais. O truque? TUDO À PROVA DE ÁGUA! Camadas de setting spray na tromba e está a andar! Só se leva o batom para retocar e mesmo assim... Se borrar, borrou, não há cá retoques! Quando chegar a altura de provavelmente terem a cara num nojo já está tudo demasiado bêbado para notar. Dica: tirar as fotos do instagram antes que emborcar que nem umas vacas.

E quando fizer frio?!
- Pois é, voltamos ao assunto de à bocadinho. Faz frio à noite e como queremos ir giras e pouco carregadas costumamos-nos esquecer disso. Optem por um casaco a que não tenham muito amor ou, como eu, um hoodie; algo que dê para amarrar à cintura, assim não têm que usar malas grandes.


O que devo levar na mala?!
- Usem o género de mala que vos dê mais jeito. Eu prefiro mochilas e algo para usar à cintura para ter o telemóvel e o porta-moedas. Levem o essencial; ninguém gosta de andar carregado. NUNCA SE ESQUEÇAM DOS LENCINHOS DE PAPEL!! A sério. Vocês sabem bem porquê.


Corações, o que realmente importa é sermos capazes de nos divertirmos. Beber aí umas misturas esquisitas que os amigos trazem numa garrada de Sumol, fumar umas ganzinhas mas tudo com um mínimo de juízo. Tenham em conta a vossa resistência e saúde. Não sejam daqueles parvalhões que às 18h já se vomitaram todos e que às 23h entram com coma alcoólico. É mau para vocês e uma merda para nós porque queremos circular à vontade sem ter de nos desviarmos.

Muitas de vós querem ir todas gostosas para impressionarem aquele boy mas meus amores, o vosso bem estar deve de estar sempre primeiro que algum gajo que provavelmente é um fuckboy idiota. E não se preocupem, umas seis cervejas e um copinho de traçado que depois eles não se importam se vocês estão uma brasa, eles querem é molhar o bico. 


Mas acima de tudo: Façam aquilo que vos faz feliz e não se preocupem com o que os outros possam pensar. No fim do dia só importa que nos tenhamos divertido e que a ressaca valha a pena.


Um beijinho que a tia agora vai para o seu décimo Avante! 

sábado, 12 de agosto de 2017

Férias: Castelo dos Templários e Convento de Cristo em Tomar

Primeiras férias do ano e não diz nada de especial fora ir visitar o Castelo dos Templários e o Convento de Cristo em Tomar.
Ver o castelo ao vivo é um sonho para qualquer pessoa que tenha estudado história das artes. Gótico manuelino é mais lindo ao vivo do que em fotos.



Também se deu um pulo a Fátima, mas a arquitectura deixa a desejar, nos meus gostos pessoais.

Que chegue Setembro.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

FairyLoot Julho de 2017: Tricksters

O mês passado recebi a minha primeira FairyLoot! A hype foi real. 

O que é a FairyLoot?
É uma caixa de subscrição que recebemos mensalmente sempre cheínha de artigos inspirados em livros de fantasia. Todos os meses há um tema e a partir desse tema são seleccionados vários produtos que todos os bookaholics adoram e um livro novidade! É sempre uma surpresa e só sabemos o que vem quando recebemos a caixa. E muitos dos artigos também são feitos exclusivamente para a FairyLoot, não se encontram em mais lado nenhum!

O tema do mês de Julho foi Tricksters e foi prometido coisinhas de Harry Potter, Sherlock, Loki e Harley Quinn. O resto foi surpresa.

Querem ver o que veio? Ora aqui está!



Fuga para Oleiros

Que fazer quando tudo na vida corre mal?

Fugir para longe, para o meio da serra e do rio.

Passei três noites a acampar em Oleiros. Já é o terceiro ano seguido que lá vou. Se há sítio que adoro é aquele. Calmo e silêncioso. Volto sempre de lá recarregada e relaxada. Não há obrigações, não há ninguém a importunar. Só nós, o som dos pássaros, o cheiro da relva e o toque do vento.
... E algumas causuais parvoíces com a companhia.


E as estrelas. Aquelas estrelas...

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Sentir

Quero sentir.
Quero sensações.
Quero chorar à chuva.
Quero sentir os meus pés descalços na terra numa floresta.
Quero ver um pôr do sol em silêncio.
Quero embrulhar-me numa manta num sofá enquanto oiço os trovões lá fora.
Quero tocar numa pedra de um castelo em ruinas e sentir a energia de todos aqueles que por lá já passaram.
Quero flutuar na àgua. E cair,
Cair,
Cair,
Senti-la a envolver-me
Até eu própria fazer parte do mar.